28 ENCONTRO QUINZENAL DE REFLEXÃO


28  ENCONTRO QUINZENAL DE REFLEXÃO

  1. Jorge Rebelo desabafa sobre a actual conjuntura
    • Defende a responsabilização dos desmandos do Governo de Guebuza
      • “Se a roptura acontecer, que venha”

Jorge Rebelo um dos fundadores da Frelimo, onde foi o temido secretário do Trabalho Ideológico nos tempos de Samora Machel, lamenta o facto de o pais ter sido levado para a sarjeta por um líder consagrado como visionário.

  1. Directora do FMI pronuncia sobre as dívidas ocultas em Moçambique

Há sinais claros de corrupção escondida

  1. José Jaime Macuane é a mais recente vítima

O rapto e consequente baleamento esta segunda-feira, em Maputo, de uma das vozes críticas à governação do dia nos últimos tempos volta a levantar o velho debate sobre a intolerância ao pensamento diferente em Moçambique. José Jaime Macuane, académico e docente universitário, que no domingo último mandou recado ao governo da Frelimo, caiu nas garras dos poderosos poderes ocultos decididos a ditar, de armas em punho, em quê e como os moçambicanos devem expressar-se.

  1. Renamo denuncia ofensivas militares na Gorongosa
    • Iminente mega assalto a Satungira?

Tal como no passado, pode estar em marcha um plano das alas radicais da Frelimo visando anular os passos de Nyusi rumo ao diálogo com Dhlakama.

  1. O cenário é admitido pelo Banco de Moçambique

Suspensão de ajuda ao país coloca riscos à economia

  1. Moçambique esta no lixo segundo a Fitch

Moçambique é um devedor de alto risco e caminha para uma situação de incumprimento financeiro, pelo que deve baixar de CCC para CC, equivalente a lixo, considera a agência de notação financeira Fitch na sua mais recente avaliação sobre o país.

CANAL DE MOCAMBIQUE, 25/05/2016

Destaques

  1. O que os doadores disseram a Maleiane e à Frelimo
    • Os donos da mola

Em documento de duas páginas enviado ao Governo, os doadores mantem a suspensão da ajuda e informaram que já não há confiança devido à má governação e falta de transparência. Os doadores exigem uma auditoria forense para saber onde está o dinheiro, as contas bancarias, as empresas criadas e os donos dessas empresas. Querem também explicações sobre intolerância política e esclarecimentos sobre os refugiados no Malawi e outras violações de direitos humanos.

  1. Atentado contra Jaime Macuane
    • Ordem para deixar coxo

Desconhecidos supostamente dos famigerados esquadrões da morte que estão ao serviço do regime do dia raptaram e balearam o professor Macuane.

  1. Governo entre a espada e a parede
    • O preço do dinheiro dos doadores

A dívida pública embaraça governo na explicação no parlamento.

  1. Na região centro do país

Vinte e seis mil alunos abandonam escolas devido aos confrontos militarem. O número vai aumentar, devido ao encerramento de cinco escolas, na semana passada na localidade de Samoa, no distrito de Moatize, na província de Tete.

  1. Após mais uma tentativa de rapto no leito hospitalar

Liga dos Direitos Humanos retira militante da Renamo do Hospital Central de Maputo.

  1. Vítima de um ataque ao machimbombo da “Nagi Investiment”

Uma jovem militar abandonada há quatro meses no Hospital Provincial de Quelimane queixa-se do Governo.

  1. Dhlakama indica Eduardo Namburete, Jose Manteigas e Andre Magibire para a preparação das negociações.
  2. O escândalo da divida publica
    • Adriano Maleiane continua a mentir descaradamente

Contrariamente ao que a imprensa internacional escreveu, o ministro da Economia e Finanças diz que o Conselho de Ministros foi ao FMI no quadro da “reunião de primavera” e não para esclarecimentos. Diz também que o Conselho de Ministros contraiu a dívida de forma secreta por razões de segurança.

  1. Renamo acusa Maleiane de tentar ludibriar os moçambicanos

Renamo diz que o Governo deve explicar os pormenores da dívida em sessão plenária da Assembleia da República.

REFLEXAO 28

27 ENCONTRO QUINZENAL DE REFLEXÃO


27  ENCONTRO QUINZENAL DE REFLEXÃODestaques

  1. Mussumbuluko Guebuza no negócio de armas

Através de Mussumbuluko o Governo comprou armamento a uma empresa isrealista denominada IWI. Mussumbuluko supervisionou o teste das armas e as instruções em Boane e Namaacha.

  1. Três mortos e vários feridos em emboscadas a oito autocarros
    • Domingo sangrento

Inocentes continuam sendo vítimas de emboscadas.

  1. Agentes da Justiça clamam por mais segurança

Agentes da justiça moçambicana envolvidos na investigação e julgamento de casos relacionados com crimes organizados sentem-se vulneráveis devido a deficiente protecção das instalações e dos intervenientes processuais, particularmente dos que lidam com matéria criminal.

  1. Violação dos Direitos Humanos em Moçambique

Oitenta e três pessoas foram vítimas de execuções sumárias em Manica, Sofala, Tete e Zambeze

Há 16 pessoas destas províncias em busca de protecção, dos quais cinco casos são do conhecimento da Procuradoria-Geral da República.

  1. Para superar crise político-militar e económico-social

LDH recomenda revisão da Constituição para redução dos poderes discricionários do Presidente da República.

  1. Em Gorongosa

Doze escolas encerram devido a guerra

  1. Nas zonas sul e centro

Seca provoca desnutrição crónica aguda a 1400 crianças.

  1. De 2010 a 2015

Cerca de 10.000 elefantes foram abatidos por caçadores furtivos.

SAVANA, 13/05/2016

Destaques

  1. A Segurança de Estado na ribalta
    • O Poder da SISE nas dívidas escondidas

O enredo a volta da misteriosa contratação de uma divida superior a dois mil milhões de dólares por parte do governo de Armando Guebuza tem em comum o facto de estarem envolvidos personagens ligadas ao Serviço de Informação e segurança do Estado (SISE).

  1. Engenheiro dos negócios Ematum e Proindicus
    • Do credit Suisse para o universo Iskandar Safa

Um quadro sénior do Credit Suisse, que estruturou os empréstimos concedidos por esta instituição bancaria à Ematum e à Proindicus, deixou o Banco suíço pouco depois para trabalhar directamente para o beneficiário chave dos negócios que ameaçam a credibilidade de Moçambique, o empresário libanês Iskandar Safa.

  1. Moçambique nos Papéis do Panamá
    • Pelo menos a filha de Chissano esta metida em paraísos fiscais

Martina Joaquim Chissano aparece como accionista de uma tal empresa de Prima Finance Development Limited e a Autoridade Tributaria de Moçambique escusa-se de falar sobre o assunto considerando-o como sendo muito delicado.

  1. Polícia ordena sepultura dos corpos abandonados em Mocossa sem fazer autopsias
    • Medo da verdade?

A Polícia da República (PRM), ao nível da província de Manica, ordenou o enterro dos treze corpos encontrados sem vidas no distrito de Macossa, Armando Mude.

  1. Crise política, económica e social
    • Estamos hipotecados

Numa dura entrevista, o Presidente do Parlamento Juvenil destaca que o povo é patrão, como o faz reiteradamente o Presidente Filipe Nyusi, é o cúmulo da hipocrisia.

  1. Deixaram o crime organizado dominar a Administração da Justiça e agora…

Magistrados gritam pelo socorro

  1. Os longos sapatos do Dr. Menet, afirma Rui Baltazar no discurso da tomada de posse do novo Bastonário da Ordem dos Advogados de Moçambique.

27 ENCONTRO QUINZENAL DE REFLEXÃO

Apresentacao No 26 dos Jurnais – Mozambique


REFLEXAO 26 logoDestaques

  1. Há cinco empresas no pacote da EMATUM

Com o pacote da divida oculta de cerca de 1.4 bilhões de dólares Guebuza, Nyusi e Chang criaram as seguintes empresas: EMATUM, GIPS, PROINDICUS, MAM e VIPAS. PCA da EMATUM na gestão das empresas.

A VIPAS, é uma empresa de segurança de elite que faz a protecção a Embaixadas e embaixadores, incluindo transporte de dinheiro e jóias.

  1. Os EUA juntam-se ao G14, FMI, BM e ao Reino Unido

Depois do Fundo Monetário Internacional, do Banco Mundial, do Reino Unido e dos parceiros de apoio programático, o G14, agora foi a Embaixada dos Estados Unidos da América que emitiu na segunda-feira um comunicado de imprensa em que mostra a sua preocupação em relação a divida pública de Moçambique e saúda a decisão do G14 de suspender o financiamento do Orçamento do Estado moçambicano.

  1. A carta de Dhlakama ao Presidente de Portugal

Frelimo agora persegue a estratégia de eliminar-me fisicamente.

  1. Administrador da Gorongosa nega aos jornalistas acesso ao local da suposta vala comum

O administrador do Distrito da Gorongosa, Manuel Jamaca, evocou motivos administrativos para impedir os jornalistas e a delegação provincial de Sofala de atravessarem o rio Nhanduwe para a região de Tropa, distrito de Macossa, província de Manica, onde os camponeses dizem existir uma vala comum com mais de 100 corpos abandonados.

  1. PGR e a Frelimo nos tentáculos do Pato Mafioso

Guebuza traçou um plano maquiavélico com uma engenharia cautelosa e minuciosa para endividar o Estado junto das instituições que deram aval ao empréstimo de 9.8 mil milhões de dólares americanos.

  1. Renamo cumpre promessa e não comparece na sessão da Comissão Permanente da Assembleia da República

A Renamo faltou na segunda-feira à sessão ordinária da Comissão Permanente da Assembleia da República por considerar que a convocatória foi enviada tarde e a mesma omitir a discussão sobre a divida publica e a situação política. Para a Renamo, discutir a viagem do Presidente da República a China em sede do Parlamente é extremamente irrelevante.

  1. Forças da Renamo alvejam viatura militar e provocam três mortos

Homens armados supostamente da Renamo emboscaram no último dia 05 de Maio uma viatura militar na região de Potcho, no povoado de Chibaene, na localidade de Chiandane, distrito de Tsangano, província de Tete.

  1. João Trindade diz que se a PGR está a investigar a dívida pública secreta é positivo

O Juiz jubilado João Carlos Trindade diz que, se a PGR deu início a um processo para apurar a verdade sobre o alegado endividamento secreto do Estado moçambicano, é um passo significativo para o esclarecimento da verdade e esse facto deve ser motivo de satisfação.

  1. Diz o relatório de avaliação da implementação da Lei e Regulamento do Direito à Informação
    • Instituições públicas continuam a sonegar informação

Foi apresentada no dia 03 de Maio em Maputo, o Relatório da Avaliação da Implementação da Lei e Regulamento do Direito à Informação. Por ocasião do dia Mundial de Liberdade de Imprensa, que este ano decorre sob o lema: “O acesso à Informação e as Liberdades fundamentais: este é o seu direito”. A avaliação conclui que há vários casos de violações da legislação moçambicana sobre o direito à informação.

  1. Caso Eva Moreno
    • PGR diz que houve crime de prisão ilegal

E recomenda a instauração de procedimento disciplinar contra a polícia.

  1. Dívidas escandalosas hipotecam toda a geração, diz o Parlamento Juvenil

Parlamento Juvenil declara que o Governo deve entregar à Justiça os responsáveis pelo endividamento do Estado.

  1. Na Beira
    • Polícia protege indivíduos do “esquadrões da morte”

Três indivíduos dos quais dois sobejamente conhecidos de um grupo de quatro elementos que supostamente fazem parte dos chamados “esquadrões da morte”, foram detidos no passado sábado, dia 06 de Maio, na cidade da Beira, província de Sofala.

NOSSA REFLEXÃO

Ontem, o Estado da Nação não era satisfatório. Hoje, o real Estado da Nação é péssimo. Com tenção político-militar na ordem do dia, Dívidas ocultas, valas comuns, parcerias público-privadas camufladas e o custo de vida a subir de forma galopante.

A tenção político-militar continua a deflagrar-se pelo território nacional. E até aqui não existe perspectivas claras de um diálogo sincero e responsável. Assistimos hoje a mais infantil das democracias a nível do mundo. No nosso entender, o único que poderá solucionar o conflito moçambicano, não serão os homens vestidos a fatos franceses ou italianos sentados numa mesa redonda com direito de café, água mineral, com os seus Ford Ranger, BMW, Mercedes estacionados no parque, mas desta feita o Povo pacato e soberano, saindo a rua e paralisando o país até as mais extremas consequências.

As últimas informações indicam que a nossa dívida pública atingiu os níveis mais alarmantes de todos os tempos a nível de toda África. E agora? Estas dívidas contraídas em nome do Estado, enquanto na verdade era para enriquecer um grupo de pessoas, será que os nossos impostos conseguirão amortizar toda essa desgraça? Afinal, quem mesmo deve pagar por este escândalo? O Povo? E Guebuza? Chang? Nyusi? (Este último era na altura Ministro da Defesa Nacional). Se de facto a Procuradoria já esta a investigar o caso, oxalá que o façam com maior serenidade e por fim não deixem impunes os responsáveis, prendam-nos.

Moçambique vive hoje o dilema ou a intitulada Era das Valas Comuns. Um Governo que se pretende sério e responsável consigo próprio e para com o Povo como sendo o seu legítimo patrão não ousa em propalar mentiras, discursos infundados e desprovidos de racionalidade como este nosso governo o faz quando instrui os seus homens e todos os mercenários a negarem com garras, unhas e dentes de que não existe nenhuma vala comum. O velho ditado ensina: “Se existe uma capa para cobrir, existira a outra para descobrir”. Ontem fizeram isso com as dívidas públicas, e foram descobertos, hoje, estão fazendo o mesmo as vidas dos nossos irmãos, e igualmente foram descobertos. Mais quem não se arrepende por este governo, só pode ser o pior dos imbecis que uma nação inteligente poderia ter.

Por favor: Devolvam-nos o sossego, a concórdia, harmonia, a tranquilidade, a liberdade e a Paz que são os únicos garantes da dignidade de um Povo por um lado e por outro são estas, as sementes que possibilitam a construção de uma sociedade moderna democrática de direito e de justiça social.

Só nos resta PEDIR A DEUS PAI-TODO-PODEROSO QUE NÃO ABENDONE O SEU POVO. PAI, TENDE MISERICÓRDIA DE NÓS, TE IMPLORAMOS SENHOR.

A luta continua…. “Enquanto não encontrarem-se a misericórdia e a fidelidade, enquanto não abraçarem-se a paz e a justiça”, não calaremos….

O Secretário: João Dambiro                O Coordenador: Fidel Salazar   

REFLEXAO 26

Death of Archbishop Emeritus of Beira, Mgr Jaime Pedro Gonçalves


Jaime Pedro Gonçalves Archbishop Emeritus of Beira_JPEGOpening of the Sanctuary of Our Lady of Fatima MurraçaThis morning at 01:30 in a clinic in Beira, Jaime Pedro Gonçalves Archbishop Emeritus of Beira, died after a long illness. May he rest in peace.

Morreu esta noite às 01:30 na clínica Avicenna, Jaime Pedro Gonçalves, Arcebispo Emérito da Beira. Paz a Sua Alma.

Picture of the right: Opening of the Sanctuary of Our Lady of Fatima Murraça

By Hugh Seenan, M.Afr

Jaime Pedro Gonçalves died today 6th Abril at 79 years of age in hospital in Beira after a long illness. Born 26th November 1936 in Nova Sofala in Beira Province, he studied in Zobue in the Junior Seminary directed by the Missionaries of Africa. He then went to the Major Seminary in Lourenço Marques e Namaacha and made further studies in Canada (Antigonish) and Rome.

Jaime Pedro Gonçalves

He completed forty years as Bishop last week, Easter Monday, but was too sick to participate in the special mass. He was the major player in bringing the two sides to the negotiating table in Rome in the first Civil War which led to the signing of the Peace Accords of the 4th October 1992.  He was very involved in the preparations of the first Extraordinary Synod for Africa, as a Vice-President of SECAM for the Portuguese language.

With the Missionareis of Africa at the handing over of Murraça_2With the Missionaries of Africa at the handing over of Murraça.

Extract from the book entitled “Attracted to Conflict: Dynamic Foundations of Destructive Social Relations”:

Extract Attracted to ConflictExtract from Review Essay – Conflict in Southern Africa

“Mozambique’s peace agreement constitutes a rarity in conflict resolution, namely, as one of the few cases where the initiative, the pace, and the resolve of negotiations were determined not by diplomats but by the offices of the men and women of good will from Sant’Egidio, a Catholic lay order in Rome’s Trastever district and by the clairvoyance and determination of a formerly imprisoned Mozambican Catholic Bishop, Jamie Pedro Goncalves, Archbishop of Beira. Ending Mozambique’s War is a detailed account of the negotiations that led to peace and eventually to democratic elections in Mozambique in 1993.” READ MORE ON THIS PDF FILE

Violent death of the watchman of Sussundenga, Mozambique


Sussundenga MOZThe community of Sussundenga in the Diocese of Chimoio in Mozambique is mourning the violent death of his watchman. At 6:15 on 8th October, I saw a missed call from one of our parishioners who is a medical Doctor. I got surprised and called her back. She was very preoccupied and wanted to know if we were all inside the house. She then told me that we should not get out until the police recommends us to do so. “Your watchman was killed last night in your house”, she concluded. I immediately informed my confreres. Shortly the police called us to come out as they were at the gate. Our watchman was lying down as if he was asleep but with his mouth widely opened. His face shown marks of violence. Joaquim has passed away! Strange enough, nothing was stolen or vandalised, including our cars and motorbikes. Even the personal belongings of the watchman were left behind intact; phones, radio, lamp torch, except his gun.

We are still waiting for the Police and hospital reports. For our security, two policemen kept vigil in our house for one night. Our Joaquim left two wives and many children. His funeral took place yesterday the 9th in the morning.

Pray for us. Boris Yabre, M.Afr