Serving and living with God’s people.


By Hervé Tougma

Proud to be a member of our Society by my missionary Oath, I was ordained in and for the Church. I am a Missionary of Africa priest in the Church who is mother and educator. Since my ordination, the Society has granted me the grace and privilege to live in a parish in Mozambique.

In this semi-urban and semi-rural parish, my desire is to live a very active apostolate in which the collaboration between the pastoral team and the Christian faithful is felt and lived. This desire, which is a reality in our small and young parish, is the subject of a sharing on “the life and the participative management of our parish”.

Encounter with the right key

Hand in hand, we will build up the Church as God’s family. As a Missionary, I am aware of my contribution but the strength of the building will depend on the people who receive the Gospel, and allow it to penetrate their lives and be its life-giving source. In Mozambique, every confrere who arrives for the first time in this “Glorious Land” becomes a small library which is once again enriched with two languages: Portuguese and the local language. Taking to heart the invitation of our founder, Cardinal Lavigerie, learning the language brings us into the reality of the people and brings us closer to them. As Missionaries of Africa, speaking the local language remains a priority for the sharing and incarnation of the Good News, for breaking down barriers of communication and for coming into contact with and understand the local culture. Speaking the language already gives this joy of walking together.

In his missionary sending, Jesus said: “Go therefore, make disciples of all nations, (…) teaching them to observe all that I have commanded you” (Mt 28:19-20a). To make disciples of them and to transmit what the Lord Himself has commanded me, knowledge of the language is the key that allows me to be a happy and fulfilled missionary.

The Apostolate of collaboration, baptized and sent

Invited by the Bishop because of our charism, we have responded by taking a parish as a starting point for our apostolate of Justice and Peace and of Integrity of Creation JPIC). In the same perspective and taking advantage of our presence, the Bishop also asked us to join his pastoral team to initiate ecumenism and inter-religious dialogue with the growing number of Muslims in the region. The cosmopolitan reality of Tete calls for an integration of our specialisation with the pastoral needs of the Diocese. In this mining town and crossroads of travellers from neighbouring countries such as Malawi, Zambia and Zimbabwe, we observe the intermingling of races and human mobility as ordinary realities. As Missionaries of Africa, managing a parish that responds to our vocation as ordained for the Church, the particularity of our charism propels us to respond to pastoral needs starting from the parish that serves as a springboard.

With very few diocesan priests, the Diocese counts on different congregations each with its own approach to mission, based on its Charism.

The absence of permanent catechists in the Diocese of Tete was a surprise to me. This reality provides for a very close collaboration with lay people and pastoral agents. For catechesis in our parish, we work with volunteer catechists. We have the presence of the Extraordinary Ministers of the Eucharist and the Ministers of Hope. The Extraordinary Minister of the Eucharist assists the priest in the distribution of the Eucharist and brings communion to the sick. He also accompanies the priest at the appropriate time for visits to the sick. The Ministers of Hope collaborate through being close to the sick. In case of decease, the Minister of Hope leads the prayers for Christian burial when the priest cannot be present.

Within the framework of these two extraordinary ministries, each group is being prepared and trained before being sent out for witnessing to their faith through their ministry.

As pastors, we visit the communities for Masses and in the absence of the priest we count on their leaders for the celebration of the Word every Sunday. According to St. Paul “How could they call upon him, if they had not believed in him? And how could they believe in him without hearing him? And how can they hear him if no one proclaims him?

And how can they proclaim him unless they are sent?” (Rom 10:14-17). This responsibility is shared and the most important thing is to empower these lay leaders through prior preparation. The training and meetings allow us to journey with the members of the different groups and movements towards a precise horizon. We keep an eye on the organization and the life of the basic Christian communities. We visit these communities from time to time so as to accompany them and to remain in touch with the faithful. We also encourage them to practice solidarity in their daily living.

The reality of the mission in the field educates and teaches us. After a long time of formation, I discovered the necessity and importance of pastoral collaboration. In addition to the collaboration with the Pastor of the Diocese and his pastoral agents, I have learned to appreciate collaboration with the laity so as to live the apostolate of closeness in view of rooting the Gospel in the life and culture of people. The preparation I have received is being contextualised and teaches me to delegate, to share my experience and know-how with close collaborators for the building up of the mystical body of Christ: the Church.

Source : Petit Écho de la Société des Missionnaires d’Afrique, no 1109, 2020/03

70th Anniversary Celebrations of Murraça Parish and the White Fathers in Mozambique.


fr-charles-pollet-2By Hugh Seenan (Parish Priest of Murraça 2004-2007)

On the 4th September 2016, Our Lady of Fatima Parish, our first parish in Mozambique, celebrated 70 years of its foundation. The first group of White Fathers, Albert Garin, Charles Pollet, Cesar Bertulli and Paolo Marostica founded the parish on the 5th June 1946, meaning as well that 2016 marks 70 years of the White Fathers in Mozambique. The initial location was Magagade 18km from the present location in Murraça, the name it is now famous for. Murraça is on the opposite bank of the Zambezi where the Chire enters the river.

Archbishop Claudio Dalla Zuanna, Archbishop of Beira, led the celebrations. The day also marked the celebration for the Year of Mercy for the parishes along the River Zambezi, many founded from Murraça. A Vigil on the Saturday Night marked the start of the celebrations. The pilgrims passed through the Holy Door parish by parish.  Unfortunately, because of the war only a small group of pilgrims could come from Beira.  A carful came with the Archbishop making a long detour via Maringue and Sena to avoid the military convoy. A handful of us travelled by passenger train that up to now has not been attacked as it passes through the war zone. This included António Dina, who belongs to the first group who completed primary school in Murraça. He said a few words at the end of Mass speaking warmly of our first confreres and their successors. All had a great day.

This slideshow requires JavaScript.

31 ENCONTRO QUINZENAL DE REFLEXÃO


COMISSÃO DIOCESANA DA JUSTIÇA E PAZ 31 29/06/2016

Destaques

  1. O projecto de vigilância nacional que Guebuza ofereceu ao filho

1.1. As câmaras de Mussumbuluku

Estão a ser montadas 450 câmaras de vigilância nas cidades de Maputo e Matola, no âmbito do projecto do comando nacional de intercepção e de informação que inclui as escutas telefónicas. O comando central de vigilância esta situado na Casa Militar.

  1. FMI quer auditoria internacional às contas da EMATUM, ProInducus e MAM.

Segundo a avaliação técnica feita pelo Fundo Monetário Internacional, a dívida pública tem agora alta probabilidade de ter atingido um nível de risco elevado de sobre endividamento.

  1. Renamo acusa Governo de intensificar bombardeamentos à Serra da Gorongosa

Em sessão de Comissão Mista de preparação de diálogo realizada em 20 de Junho de 2016, a Renamo queixou-se de intensificação dos bombardeamentos militares tendo como alvo Afonso Dhlakama.  

  1. Em menos de sete meses

Oito ladrões foram mortos pela população na Beira

  1. Escândalo da dívida pública
    • Beatriz Buchili diz que ainda não arguido devido à presunção de inocência.

Os processos em instrução preparatória não têm até ao momento, arguido, e chama à acolação aos princípios de presunção de inocência e de segredo de justiça.

  1. CFM necessitam de 400 milhões de dólares para reabilitação da linha férea Beira-Machipanda.
  2. No Distrito de Barué, província de Manica

Desconhecidos queimam sede distrital da Renamo

Primeiro secretário da Frelimo do posto Administrativo de Nhamapassa assassinado por homens que se supõem ser da Renamo.

  1. Director do Banco Mundial revela essencial o envolvimento dos cidadãos no processo de tomada de decisões.
  2. Governo pretende que PIC permaneca no Ministério do Interior
  3. Navio comercial afunda no Porto da Beira (tratado noutros jornais)

ZAMBEZE, 30/06/2016

Destaques

  1. Divida deixa o pais em maus lencoes (tratado noutros jornais)
  2. Apesar do número ter aumento para doze
    • Comissão Mista continua estagnada

A Comissão composta pela Renamo e Governo para preparar dialogo, num beco sem saída.

  1. Barrulho da PIC engasga Buclhili no Parlamento (tratado noutros jornais)
  2. Mocambique pressionado a investigar a violação dos Direitos Humanos

A Amnistia Internacional (AI) considera que Moçambique devera investigar de imediato todas as alegações de violação dos Direitos Humanos por agentes do Estado. Tais investigações, diz a AI, deverão ser completas e imparciais.

  1. Graça Machel ausculta adolescentes sobre situação da criança
  2. Por ocasião da Função Pública

Governadora da província de Sofala aperta o cerco a funcionários desonestos. Maria Helena Taipo, aproveitou o dia da Função Pública assinalado semana finda para lançar um aviso à navegação a todos os funcionários desonestos para abdicarem de práticas corruptas.

  1. Parlamento Juvenil quer saídas para problemas que o país enfrenta
  2. Cartão Vermelho contra as piores formas de trabalho infantil

Diz a Ministra do Trabalho e Segurança Social, Vitória Diogo, reconhecendo que em Moçambique existem manifestações de abusos de criança, situação que requer atenção de todos.

DIÁRIO DE MOÇAMBIQUE, 29/06/2016

Destaques

  1. Três figuras reforçam equipa governamental para o diálogo (tratado noutros jornais)
  2. Educação capacita formadores em matéria de nutrição
  3. Ao longo da EN1, Distrito de Machanga, Sofala

Homens armados da Renamo atacam passageiros em Mpinga

DIÁRIO DE MOÇAMBIQUE, 01/07/2016

Destaques

  1. Em Sofala

Aprendidos mais de 6 mil metros cúbicos de madeira

  1. Em instituições do Estado

Governo revela mecanismos para detectar desvios de fundos

NOSSA REFLEXÃO

Qual é o real Estado da Nação? Esta será pelo menos até aos próximos tempos uma questão imparável. A resposta a esta pergunta é única “péssimo”, ou “Pior de todos os tempos”.

Numa altura em que há uma luz no fundo do túnel com vista a busca de paz efectiva, embora sabemos que não será Perpétua como pensava um dos maiores filósofos alemão Emmanuel Kant. A tenção político-militar vai degenerando diariamente; a Dívida Pública começa a causar sérios problemas aos moçambicanos; o crime organizado continua a propalar-se a níveis assustadores e por conseguinte, o custo de vida a subir de forma avassalador.

As últimas informações indicam que a nossa dívida pública atingiu os níveis mais alarmantes de todos os tempos a nível de toda África. Moçambique está em risco de cair na caixa de lixo de maior devedor da História. E agora? Prendam os responsáveis. A impunidade de Guebuza e os seus dois filhos, a luta pela permanência da PIC sob a tutela do Ministério do Interior em vez da Procuradoria-Geral da República gelou a Procuradora-Geral da República no seu informe anual aos moçambicanos a ponto de não ter trazido dados substanciais para por cobro as situações da sua responsabilidade.

Por favor: Devolvam-nos o sossego, a concórdia, harmonia, a tranquilidade, a liberdade e a Paz que são os únicos garantes da dignidade de um Povo por um lado e por outro são estas, as sementes que possibilitam a construção de uma sociedade moderna democrática de direito e de justiça social.

Só nos resta PEDIR A DEUS PAI-TODO-PODEROSO QUE NÃO ABENDONE O SEU POVO. PAI, TENDE MISERICÓRDIA DE NÓS, TE IMPLORAMOS SENHOR.

A luta continua…. “Enquanto não encontrarem-se a misericórdia e a fidelidade, enquanto não abraçarem-se a paz e a justiça”, não calaremos….

O Secretário: João Dambiro – O Coordenador: Fidel Salazar   

29 – 30 ENCONTRO QUINZENAL DE REFLEXÃO


COMISSÃO DIOCESANA DA JUSTIÇA E PAZCANAL DE MOCAMBIQUE, 22/06/2016

Destaques

  1. A empresa holandesa dona da EMATUM

Para além da Mozambique EMATUM Finance BV, com sede na Holanda, foi criada uma outra empresa em Agosto de 2013, denominada Stichting Mozambique EMATUM Finance.

A Stichting Mozambique EMATUM é dona das acções da EMATUM na Holanda e partilha os mesmos escritórios com a Mozambique EMATUM Finance BV, em Amsterdão. A empresa tinha em 2014 como saldo bancário, 27, 8 mil euros no Banco alemão Deutsche Bank.

  1. Devido a mau comportamento
    • Filho de Nyusi corrido na ATCM

Depois de ter sido notícia devido aos luxuosos carros que ostenta desde que o seu pai se tornou Presidente da República, o filho de Filipe Nyusi volta a ser notícia. Ele está proibido de frequentar o recinto do Automóvel e Touring Clube de Moçambique (ATCM).

  1. Em menos de dois meses
    • Terceiro incêndio em sedes da Renamo na cidade de Chimoio

Esta é a segunda vez que é incendiada a sede provincial da Renamo em Manica. Anteriormente, já havia sido incendiada a sede da Delegação da Renamo na cidade de Chimoio.

  1. Centenas de pessoas saíram à rua contra a guerra e as dividas escondidas

Queremos que o ex-Presidente e o seu Governo respondam por estas dívidas”- Alice Mabota, Presidente da Liga dos Direitos Humanos.

Exigir o desarmamento da Renamo é uma falacia. O Governo deve também deixar as armas.

  1. Negociacoes entre Governo e Renamo deverão incluir mediadores e observadores

A Comissão mista encarregada de prepara o encontro entre Nyusi e Dhlakama anunciou que as negociações vão incluir mediadores e observadores da União Europeia, África do Sul e da Igreja Católica Romana.

  1. Na Escola de Formação Prática da Policia de Matalane

Formandos queixam-se de serem retidos arbitrariamente.

  1. A conversa telefónica de dois dias entre Afonso Dhlakama e Filipe Nyusi

O Presidente da Renamo Afonso Dhlakama, anunciou que durante dois dias de conversa com Filipe Nyusi, alcançou consensos sobre o processo de negociações para a busca de paz.

ZAMBEZE, 23/06/2016

Destaques

  1. Diálogo por um lado. Ataque militar à Gorongosa por outro
    • Governo faz jogo duplo a Dhlakama

A Renamo lamenta que ao mesmo tempo que se esta a criar condições para o retorno ao diálogo, tendente a devolver a paz no pais, o Governo esteja a levar a cabo uma ofensiva militar de grande envergadura desde o dia 18 deste mês na Serra da Gorongosa onde se presume que esteja refugiado o líder da Renamo.

  1. Ecos dos utentes da EN7
    • Passageiros e transportadores queixam-se de demora e extorsão nas colunas da EN7

Vários passageiros e transportadores que circulam através de escoltas militares na EN7, principalmente no troco Vanduzi e rio Luenha, nas províncias de Manica e Tete, queixam-se da demora e das constantes acções de extorsão aos transportadores, protagonizados por alguns elementos das FDS que garantem a segurança.

  1. Camiões malawianos alvejados em Macossa

Dois camiões tanques do Malawi foram alvejados, na manha da última segunda-feira por supostos homens armados da Renamo.

  1. Moçambique e Malawi chegam ao consenso sobre segurança na EN7

Autoridades Malawianas chegaram a acordo com Moçambique para a garantia da segurança na Estrada Nacional número sete, no centro do país.

  1. Repúdio à Guerra e dívidas ocultas (TAMBÉM TRATADO NOUTROS JORNAIS)

O povo não pode ser manipulado por coisas que não sabe.

  1. Tensão política-militar

PRM confirma ataque em Nhapassa e Machanga

  1. Província de Tete

Agentes da PRM envolvidos num sequestro na província de Tete.

  1. Governo de Sofala receia encerramento de fábricas

O Governo da província de Sofala esta preocupado com a intensificação dos ataques protagonizados pelos homens armados da Renamo e alerta que a situação pode levar a falência de algumas empresas que se encontram paralisadas desde o reinício da actual situação de tensão política no país.

  1. Em teleconferência fala de entendimento com PR
    • Dhlakama entende-se com Nyusi, mas não cessa ataques por falta de confiança.

O líder da Renamo, Afonso Dhlakama, falando em teleconferência à imprensa explicou que parar com os ataques militares no centro do país, passa pela garantia dos dois lados, mas principalmente do lado do Governo que é quem movimenta contingentes militares de Maputo para procurá-lo nas matas de Gorongosa.

SAVANA, 17/06/2016

Destaques

  1. Sobre a divida publica de mocambique
    • Doadores não recuam e exigem esclarecimentos da dívida para libertar dinheiro
      • Queremos responsabilização dos autores

Presidente cessante do Grupo de Parceiros de Apoio Programático e embaixador de Portugal diz que dívidas escondidas é um assunto muito sério que merece a devida correcção. E quanto a tensão política, aquele diplomata diz que falta esforço para conquistar a confiança.

  1. PR reforma FDS debaixo de tensão político-militar
    • Nyusi apregoa diálogo com arma em punho

Numa altura em que a Comissão Mista composta pelos mandatários do governo e da Renamo ainda busca mecanismos para o encontro ao mais alto nível das respectivas lideranças, o Presidente da República e Comandante em Chefe das Forcas de Defesa e Segurança, Filipe Nyusi, orientou as Forcas de Defesa e Segurança para se manterem em prontidão combativa de modo a garantirem o controlo eficiente e eficaz de cada metro quadrado do território nacional, de cada milha do mar e ar.

  1. De protesto contra a situação político-militar e económica do país
    • Promotores da marcha queixam-se de ameaças

Alice Mabota e João Pereira falam de mensagens com tom intimidatório

  1. Liberdade de expressão sob ameaça?
    • PIC causa pânico no ZAMBEZE

A semana que finda, começou nebulosa no Jornal Zambeze. Em pleno dia de fecho, terça-feira, a Policia de Investigação Criminal (PIC), a nível da cidade de Maputo, notificou e com efeitos imediatos o Director e Chefe da redacção deste semanário, João Chamusse e Egídio Plácido, respectivamente, a prestar declarações, acerca de dois artigos publicados na sua penúltima edição (datado de 9 de Junho).

  1. Académico desmonta tese de Maleiane de que a dívida pública não afecta o bolso do cidadão

Tido como o maior disparate de sempre vindo da boca de um economista, Adriano Maleiane, o Ministro da Economia e Finanças, afirmou em voz alta, em Maio ultimo, que o bolso do cidadão não será afectado por causa da divida publica moçambicana. É uma teoria que, em meandros habilitados, incluindo antigos colegas de carteira do ministro não encontra acolhimento algum e, de tanta polémica, o Savana foi bater a porta de um dos mais activos economistas moçambicanos, mesmo em termos de produção científica, João Mosca. Mosca diz que “isso não é verdade”, para que diz que o Governo pensa que ninguém sabe mais do assunto, que as pessoas não sabem pensar, ou que quer aldrabar, mentir e considerar os cidadãos como pessoas de menor idade, o que é muito mau para a credibilidade de um Estado.

  1. Biodiversidade em risco no Parque Nacional das Quirimbas
    • Chineses devastam espécies marinhas protegidas

Depois de ter tomado conta das florestas nacionais e devastado todas as espécies valiosas de madeira existente em Moçambique, os chineses, com o beneplácito de algumas figuras ligadas ao poder em Moçambique, viraram as suas atenções para a biodiversidades marinha e estão a por em causa varias espécies em protecção.

NOSSA REFLEXÃO

Qual é o real Estado da Nação? A resposta a esta pergunta é única “péssimo”, ou “Pior de todos os tempos”.

Numa altura em que há uma luz no fundo do túnel com vista a busca de paz efectiva, embora sabemos que não será Perpétua como pensava um dos maiores filósofos alemão Emmanuel Kant. A tenção político-militar continua na ordem do dia, as Dívidas ocultas começam a causar tensão arterial aos moçambicanos e quanto aos recursos minerais, já não há muita prosperidade em virtude de o preço no mercado internacional ter baixado de forma exorbitante, o crime organizado continua a propalar-se a níveis assustadores e por conseguinte, o custo de vida a subir de forma avassalador.

As últimas informações indicam que a nossa dívida pública atingiu os níveis mais alarmantes de todos os tempos a nível de toda África. Moçambique está em risco de cair na caixa de lixo de maior devedor da História. E agora? Prendam os responsáveis. A impunidade de Guebuza e os seus dois filhos gelou a Procuradora-Geral da República no seu informe anual aos moçambicanos a ponto de não ter trazido dados substanciais para por cobro as situações da sua responsabilidade.

Por favor: Devolvam-nos o sossego, a concórdia, harmonia, a tranquilidade, a liberdade e a Paz que são os únicos garantes da dignidade de um Povo por um lado e por outro são estas, as sementes que possibilitam a construção de uma sociedade moderna democrática de direito e de justiça social.

Só nos resta PEDIR A DEUS PAI-TODO-PODEROSO QUE NÃO ABENDONE O SEU POVO. PAI, TENDE MISERICÓRDIA DE NÓS, TE IMPLORAMOS SENHOR.

A luta continua…. “Enquanto não encontrarem-se a misericórdia e a fidelidade, enquanto não abraçarem-se a paz e a justiça”, não calaremos….

O Secretário: João Dambiro, O Coordenador: Pe. Fidel Salazar   

28 ENCONTRO QUINZENAL DE REFLEXÃO


28  ENCONTRO QUINZENAL DE REFLEXÃO

  1. Jorge Rebelo desabafa sobre a actual conjuntura
    • Defende a responsabilização dos desmandos do Governo de Guebuza
      • “Se a roptura acontecer, que venha”

Jorge Rebelo um dos fundadores da Frelimo, onde foi o temido secretário do Trabalho Ideológico nos tempos de Samora Machel, lamenta o facto de o pais ter sido levado para a sarjeta por um líder consagrado como visionário.

  1. Directora do FMI pronuncia sobre as dívidas ocultas em Moçambique

Há sinais claros de corrupção escondida

  1. José Jaime Macuane é a mais recente vítima

O rapto e consequente baleamento esta segunda-feira, em Maputo, de uma das vozes críticas à governação do dia nos últimos tempos volta a levantar o velho debate sobre a intolerância ao pensamento diferente em Moçambique. José Jaime Macuane, académico e docente universitário, que no domingo último mandou recado ao governo da Frelimo, caiu nas garras dos poderosos poderes ocultos decididos a ditar, de armas em punho, em quê e como os moçambicanos devem expressar-se.

  1. Renamo denuncia ofensivas militares na Gorongosa
    • Iminente mega assalto a Satungira?

Tal como no passado, pode estar em marcha um plano das alas radicais da Frelimo visando anular os passos de Nyusi rumo ao diálogo com Dhlakama.

  1. O cenário é admitido pelo Banco de Moçambique

Suspensão de ajuda ao país coloca riscos à economia

  1. Moçambique esta no lixo segundo a Fitch

Moçambique é um devedor de alto risco e caminha para uma situação de incumprimento financeiro, pelo que deve baixar de CCC para CC, equivalente a lixo, considera a agência de notação financeira Fitch na sua mais recente avaliação sobre o país.

CANAL DE MOCAMBIQUE, 25/05/2016

Destaques

  1. O que os doadores disseram a Maleiane e à Frelimo
    • Os donos da mola

Em documento de duas páginas enviado ao Governo, os doadores mantem a suspensão da ajuda e informaram que já não há confiança devido à má governação e falta de transparência. Os doadores exigem uma auditoria forense para saber onde está o dinheiro, as contas bancarias, as empresas criadas e os donos dessas empresas. Querem também explicações sobre intolerância política e esclarecimentos sobre os refugiados no Malawi e outras violações de direitos humanos.

  1. Atentado contra Jaime Macuane
    • Ordem para deixar coxo

Desconhecidos supostamente dos famigerados esquadrões da morte que estão ao serviço do regime do dia raptaram e balearam o professor Macuane.

  1. Governo entre a espada e a parede
    • O preço do dinheiro dos doadores

A dívida pública embaraça governo na explicação no parlamento.

  1. Na região centro do país

Vinte e seis mil alunos abandonam escolas devido aos confrontos militarem. O número vai aumentar, devido ao encerramento de cinco escolas, na semana passada na localidade de Samoa, no distrito de Moatize, na província de Tete.

  1. Após mais uma tentativa de rapto no leito hospitalar

Liga dos Direitos Humanos retira militante da Renamo do Hospital Central de Maputo.

  1. Vítima de um ataque ao machimbombo da “Nagi Investiment”

Uma jovem militar abandonada há quatro meses no Hospital Provincial de Quelimane queixa-se do Governo.

  1. Dhlakama indica Eduardo Namburete, Jose Manteigas e Andre Magibire para a preparação das negociações.
  2. O escândalo da divida publica
    • Adriano Maleiane continua a mentir descaradamente

Contrariamente ao que a imprensa internacional escreveu, o ministro da Economia e Finanças diz que o Conselho de Ministros foi ao FMI no quadro da “reunião de primavera” e não para esclarecimentos. Diz também que o Conselho de Ministros contraiu a dívida de forma secreta por razões de segurança.

  1. Renamo acusa Maleiane de tentar ludibriar os moçambicanos

Renamo diz que o Governo deve explicar os pormenores da dívida em sessão plenária da Assembleia da República.

REFLEXAO 28